Igreja > A Fundadora da I.E.Q.

A Fundadora da I.E.Q.

O nome Evangelho Quadrangular veio de uma revelação à fundadora de nossa igreja, Aimee Semple McPherson, em 1922, enquanto pregava para cerca de 8 mil pessoas.
Cada um dos 4 evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João) possui uma revelação específica do caráter de Jesus Cristo e de sua obra.
Cada um dos escritores dos evangelhos, escreveu para alcançar a um povo específico.
O texto sobre o qual Aimee Semple McPherson pregava naquela noite do verão de 1922 era Ezequiel 1:4-10.
Aimee Semple McPherson nasceu no Canadá, no dia 9 de outubro de 1890. Era da Igreja Metodista, no entanto quando criança, vivia distanciada de Deus, como a maioria das crianças da época.
Converteu-se aos 17 anos de idade, e casou aos 18 anos com Roberto Semple, seu pai na fé. Ambos pegaram malária na China, em missões, mas Roberto Semple morreu da doença. Tiveram uma filha, de nome Roberta, e ambas voltaram para a América.
Casou-se novamente com Harold McPherson, homem que não gostava de missões. Teve mais um filho (Rolf McPherson) em 23/03/1913 e achou que podia dedicar-se à família. Caiu enferma. Estava à beira da morte quando o Senhor perguntou a ela: "Vai pregar agora ou não?" Ela respondeu: "Sim, vou pregar." Em 15 dias estava totalmente curada.
Aimee começou seu ministério em 1915, contando então com 25 anos.

Resumo de sua Biografia

Nascida em 9 de outubro de 1890 - morte em 27 de set de 1944.
Havia muita coisa que uma mulher não podia fazer na primeira metade do século XX, mas boa parte delas Aimee Semple McPherson fez. Não é a toa que ela foi citada pela revista Time, junto com Billy Graham, como uma das 100 pessoas mais importantes do mundo durante o século XX.
Quando mulheres não podiam subir em púlpitos para pregar a palavra de Deus, ela liderou reuniões para milhares de pessoas em diversos continentes. Sua fama se espalhou por todo o mundo. Centenas de milhares foram salvos, curados e tocados pelo Espírito Santo de Deus.
Ela realizou milhares de campanhas, construiu o “Angelus Temple”, promoveu a abertura de mais de 400 igrejas no país, diplomou 3000 alunos pelo “Life Bible College”, inaugurou a primeira rádio evangélica e foi a primeira mulher a pregar a palavra de Deus em uma rádio nos Estados Unidos.
Com todo esse currículo, porém, em uma lição de humildade, que faz com que qualquer um de nós sinta que não fez nada por Deus, ela termina sua vida dizendo: "...sinto que fiz muito pouco, embora tenha pregado ao redor do mundo e visto milhares de pessoas serem salvas. Sinto não ter feito virtualmente nada. Se fosse homem, poderia ter feito muito mais. Mas sou apenas uma mulher que se entregou a Deus para ser usada por Ele. Toda glória por qualquer coisa realizada pertence completa e unicamente ao Senhor, a quem amo e rendi toda a minha alma..."


     A CONVERSÃO DE AIMEE

Uma noite ela foi para seu quarto, determinada a achar uma solução para suas dúvidas. Sem acender a lamparina, ajoelhou-se em frente à janela aberta onde contemplava a paisagem branca, toda coberta de neve.
Levantando seus olhos aos céus, vendo a lua e as estrelas, pensou: "Certamente deve existir um grande Criador que fez tudo isto". De repente, ergueu os seus braços para o céu e clamou: "Ó Deus… se há um Deus... revele-se a mim!”
“Suponho que o Pai Celestial responda a essa oração para cada ente humano que envie sua petição desesperada em direção aos céus. Pelo menos, Ele respondeu à minha antes da meia-noite seguinte", disse Aimee.
Depois das aulas daquele dia, enquanto esperava o horário para o ensaio da peça de Natal no salão da prefeitura, Aimee saiu andando pela rua de neve com seu pai e notou um aviso no salão de Missões que dizia: "Reunião de Avivamento, Robert Semple, evangelista irlandês. Todos são bem vindos".
O pai de Aimee sugeriu que entrassem e ela aceitou sem discutir, pois notícias desse reavivamento haviam chegado ao seu conhecimento e a curiosidade a impulsionava a estar ali. Tudo era interessante, os cânticos eram bastante animados, todos cantavam levantavam as mãos e Aimee se divertia com isso.
A seriedade tomou conta do semblante de Aimee ao ver o evangelista entrar com a Bíblia debaixo do braço. Moço alto, tinha um topete de cabelo crespo castanho que teimava em cair sobre os olhos azuis irlandeses. Era possível rir com ele, pois sua mensagem borbulhava com um humor claro e sadio, mas não se podia rir dele: "Nem pensar!", comenta Aimee.
"Leiamos Atos 2:38-39", Robert disse e leu…” Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados e recebereis o dom do Espírito Santo“.
E começou. Arrepios correram pelas costas de Aimee, pois ela jamais ouvira um sermão destes. Usando a Bíblia como espada, ele dividiu o mundo em dois. De um lado, colocou os cristãos, do outro, os pecadores. Segundo o seu evangelho, todos estavam destinados ao céu ou ao inferno.
Ao ouvi-lo pregar, a pessoa entendia haver diferença visível entre o pecador e o membro da igreja. O pregador passou a falar do Espírito Santo e, de repente, a falar numa língua desconhecida. Aimee diz que, para ela, este pronunciamento, inspirado pelo Espírito Santo, era como a voz de Deus trovejando em sua alma palavras terríveis de juízo e condenação.
Apesar da mensagem falada em línguas, ela entendia perfeitamente Deus dizer “que ela era uma pecadora, perdida no caminho do inferno…". Aquela noite mudou a vida de Aimee.
Jamais alguém disse tamanha verdade a ela. Era como se mãos invisíveis houvessem se estendido sobre ela e começassem a sacudir sua alma. Uma convicção genuína a envolveu e ela sabia que havia um Deus e ela atuava como uma pecadora. Ainda assim, Aimee tentou fugir procurando pôr três dias, se distrair das palavras do evangelista ouvindo músicas de jazz.
Mas numa tarde de dezembro de 1907, três dias após aquela pregação, voltando para casa de trenó, Aimee não conseguiu mais suportar. Era como se os céus de bronze fossem cair sobre ela e que em poucos momentos seria demasiado tarde.
"Deus, tenha misericórdia de mim, sou uma pecadora!", tudo mudou em sua volta e uma grande paz invadiu a sua vida.
Diz Aimee: “Foi como se o sangue do calvário, ainda quente, se derramasse sobre todo o meu ser. Grandes lágrimas escorriam sobre minhas mãos enluvadas enquanto segurava as rédeas. Quando entrei em casa, senti Aquele que é invisível bem próximo de mim. Meus pais estavam no estábulo e me alegrei pôr estar só. A casa inteira parecia inundada de uma glória cor de ouro. Levantando a tampa do fogão de metal, na sala de estar, queimei minhas sapatilhas de dança, minhas partituras de jazz e meus romances. Meu pai quis saber o que estava acontecendo e expliquei: Converti-me e não tenho mais necessidade dessas coisas!"

Os Simbolos


    1 – O Salvador

    2 – O Batizador com o Espírito Santo

    3 – O Grande Médico

   4 – O Rei que há de Voltar

 

Na primeira campanha em Mount Forest, em 1915, Harold McPherson mandou um telegrama para Aimée pedindo que ela voltasse para casa, mas ela não aceitou. Ele, então, veio ao seu encontro e, ouvindo uma de suas pregações, reconheceu o chamado de Deus na vida dela, estimulando-a a continuar.
Tempos depois, decidindo voltar para a América, o navio com Aimée foi deixando a linha costeira da China, levando ela e sua filha com apenas 13 semanas. Ela pensava que agora teria que decidir tudo sozinha, procurar bons amigos de Robert, buscar uma orientação para sua nova vida. Fez, então, sua primeira viagem transcontinental em 1918, atravessando o continente em seu carro que portava duas frases: “Carro do Evangelho” e “Jesus voltará, prepare-se”. Estava acompanhada pelo casal de filhos, sua mãe e uma secretaria. Entre 1918 e 1923 realizou 38 campanhas, em 1922 o seu ministério tornou-se internacional por conta de uma campanha realizada na Austrália.
Aimee começou a proclamá-la com o nome dado por Deus: " O EVANGELHO QUADRANGULAR"

AS CORES DA BANDEIRA


 

ESCARLATE – O Sangue de Jesus para salvação da humanidade
AMARELO OURO – O Poder Ofuscante do Espírito Santo
AZUL CELESTE – A Cura Divina que vem do céu
PÚRPURA – A vestimenta do Rei Eterno (Jesus Cristo)
No dia 1 de janeiro de 1923, foi inaugurado o templo Sede Internacional da Igreja Quadrangular, o “Angelus Temple” com capacidade para 5000 pessoas. Aimee dirigia 21 cultos por semana; nos primeiros meses 7000 pessoas encontraram a Salvação em Jesus Cristo.




R. Cerqueira César, 414 - Centro, Indaiatuba - SP

Copyright © Igreja Quadrangular de Indaiatuba - Todos os direitos reservados